Aços inoxidáveis
Legenda Ótima Boa Média Ruim
Equivalências Denominações dos fabricantes Composições Químicas Médias (%) Estado
normal de
fornecimento
Tratamentos Térmicos Características Comparativo entre características Aplicações
AISI/SAE WERKSTOFF
Gerdau Villares Böhler C Si Mn Cr Mo Ni P S Outros

Recozimento (ºC)

Dureza (HB) Têmpera Revenimento (ºC)

Resistência
a desgaste

Tenacidade Usinabilidade Profundidade
de têmpera
Deformação

Têmpera (ºC)

Meio Dureza (HRC)
Aços Inoxidáveis Martensíticos
420C 1.4028 420C VC 150 M 310 0,35 1,00
máx.
1,00
máx.
13,0 1,00
máx.
1,00
máx.
0,040
máx.
0,030
máx.

ESFEROIDIZADO

840/870 Máx. 230 980/1030 Óleo 100 200 300 400 500 600 Aço inoxidável martensítico, ligado ao cromo, temperável, magnético. Pode ser beneficiado para altas durezas e elevadas faixas de resistência mecânica. Possui boa usinabilidade, boa resistência mecânica até a temperatura de 550ºC e boa resistência à oxidação até a temperatura de 630ºC.
No estado beneficiado, apresenta melhor resistência
à corrosão. A característica inoxidável é otimizada
com a utilização de superfícies limpas e polidas, razão pela qual as carepas formadas nas operações de soldagens, tratamentos térmicos ou conformações a quente devem ser removidas. Deve-se evitar o revenimento na faixa de temperatura entre 425 e 525ºC, onde ocorre a fragilização do material.

Peças que devem resistir à corrosão atmosférica, ácidos fracos e ácido nítrico com concentrações inferiores a 60%. Hastes de válvulas e de bombas; eixos e conexões para vapor e água, navalhas de corte para indústria alimentícia, instrumentos cirúrgicos e dentários; engrenagens, etc.

54 53 52 51 52 40
Aços inoxidáveis Austentícios
316 1.4401 316 V 316 A 120 0,08
máx.
0,75
máx.
2,00
máx.
17,00 2,50 12,00 0,045
máx.
0,030
máx.
N-0, 10
máx.
1050/1070 Máx. 180 Materiais não temperáveis. Possuem, no entanto, boa conformabilidade a frio e alta capacidade de endurecimento por deformação. Geralmente não são magnéticos, porém podem possuir pequenos teores de ferrita, apresentando então leve magnetismo. Quando deformados a frio, tornam-se parcialmente martensíticos e levemente magnéticos. Muito dúcteis. Usinabilidade ruim, exceto para aços ressulfurados e CORFAC. Resistência à corrosão: apresenta alta resistência em meios de ácido acético, sulfúrico 1%, pícrico, nítrico, oléico, fórmico, bórico, crômico e benzóico a 20ºC. Boa resistência em meios de ácido acético concentrado a 70ºC, ácido cítrico, ácido oxálico 10%, ácido fosfórico a 100ºC, ácido sulfúrico 5% a 20ºC. Soluções salinas: cloretos de magnésio, cálcio, zinco; permanganato de potássio; sulfato de potássio a 20ºC, nitrato, cianeto e acetato de cobre. Corrosão atmosférica: alta resistência, exceto nos meios marinhos e industriais. Água do mar: boa resistência a 20ºC. Água: boa resistência em qualquer temperatura. Alimentos: boa resistência para embalagens que entram em contato com leite a 20ºC, sucos de frutas, óleos vegetais e café. Fabricação de peças que exigem alta resistência à corrosão localizada provocada por ácidos sulfúrico, sulforoso e banhos clorados. Adequado à fabricação de equipamentos navais, cirúrgicos, criogênicos, farmacêuticos, etc.
316 L 1.4404 316 L V 316 L A 200 0,03
máx.
0,75
máx.
2,00
máx.
17,00 2,50 12,00 0,045
máx.
0,030
máx.
N-0, 10
máx.
1050/1070 Máx. 180 Mesma aplicação do AISI 316, com menor precipitação de carbonetos durante a soldagem e menor corrosão intergranular, devido ao baixo teor de carbono.
304 1.4301 304 V 304 A 500 0,08
máx.
0,75
máx.
2,00
máx.
19,00 9,00 0,045
máx.
0,030
máx.
N-0, 10
máx.
1050/1070 Máx. 180 Fabricação de peças que devem resistir a um grande número de agentes corrosivos, tais como ácido nítrico, soluções alcalinas, água do mar, etc. Normalmente utilizado na fabricação de tanque da indústria química e têxtil; na fabricação de eixos, parafusos, rebites, etc.
304 L 1.4306 304 L V 304 L A 600 0,03
máx.
0,75
máx.
2,00
máx.
19,00 10,00 0,045
máx.
0,030
máx.
N-0, 10
máx.
1050/1070 Máx. 180 Mesma aplicação do AISI 304, com menor precipitação de carbonetos durante a soldagem e menor corrosão intergranular, devido ao baixo teor de carbono.
303 1.4305 303 V 303 A 506 0,15
máx.
1,00
máx.
2,00
máx.
18,00 9,00 0,020
máx.
0,015
máx.
1050/1070 Máx. 180

Peças para indústria alimentícia e automobilística, produzidas em tornos automáticos. O enxofre aumenta a usinabilidade e diminui a resistência à corrosão em relação aos inoxidáveis não ressulfurados.

Aços para cementação
UNS WNR AISI DUPLEX 0,03
máx.
1,00
máx.
2,00
máx.
21,0
23,0
2,50
3,50
4,50
6,50
0,035
máx.
0,015
máx.
N-0, 10
0,22
RECOZIDO Máx. 290 Aço inoxidável cromo-níquel-molibdênio, micro-estrutura formada por duas fases distintas: austenita e ferrita. Possui elevada resistência à corrosão e elevada resistência mecânica.

Utilizado na indústria do papel e celulose, prospecção de petróleo, indústria de processamento químico, fabricação de tubulações de equipamentos e linhas de condução de substâncias ricas em cloretos, além de linhas de processamento de ácido sulfúrico diluído.

S 31803 1.4462 318